Pesquisar

sábado, 27 de outubro de 2012


quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

CLÉCIA QUEIROZ - ARA KETU BOM DEMAIS - YouTube

CLÉCIA QUEIROZ - ARA KETU BOM DEMAIS - YouTube: "
"

'via Blog this'

CLÉCIA QUEIROZ - ARA KETU BOM DEMAIS - YouTube

CLÉCIA QUEIROZ - ARA KETU BOM DEMAIS - YouTube: "
"

'via Blog this'

Something (Beatles)por Clécia Queiroz - YouTube

Something (Beatles)por Clécia Queiroz - YouTube:

'via Blog this'

sábado, 2 de julho de 2011

MUITO ALÉM DE UMA PORTA

Se você encontrar uma porta à sua frente, poderá abri-la ou não.
 Se você abrir a porta, poderá ou não entrar em uma nova sala.
 Para entrar, você vai ter que vencer a dúvida, o titubeio ou o medo.
Se você venceu, você deu um grande passo: nesta sala vive-se. Mas também tem um preço: são inúmeras as outras portas que você descobre.
 O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta.
 A vida não é rigorosa: ela propicia erros e acertos.
 Os erros podem ser transformados em acertos, quando, com eles, se aprende. Não existe a segurança do acerto eterno.
 A vida é generosa: a cada sala em que se vive, descobre-se outras tantas portas.
 A vida enriquece a quem se arrisca a abrir novas portas.
Ela privilegia quem descobre seus segredos, e generosamente oferece afortunadas portas.
 Mas a vida também pode ser dura e severa: se você não ultrapassar a porta, terá sempre a mesma porta pela sua frente.
 É a repetição perante a criação.
 É a monotonia cromática perante o arco-íris.
É a estagnação da vida.
 Para a vida, as portas não são obstáculos, são apenas diferentes passagens.

Içami Tiba 

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

A Pedra

O distraído nela tropeçou...
O bruto a usou como projétil.
O empreendedor, usando-a, construiu.
O camponês, cansado da lida, dela fez assento.
Para meninos, foi brinquedo.
Drummond a poetizou.
Já, Davi, matou Golias,
e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...
E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!
Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento.
Independente do tamanho das pedras, no decorrer de sua vida. não existirá uma, que você não possa aproveitá-la para seu crescimento espiritual.

Quando a sua pedra atual, tenho certeza que Deus irá te dar sabedoria, para mais tarde você olhar para ela, e ter orgulho da maravilhosa experiência que causou em sua vida, no seu crescimento espiritual.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Sonhos de Uma Noite de Verão

“Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão.
No fundo, isso não tem importância.
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos.
Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares,
em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado.”

(William Shakespeare)

Sem trabalho, Sem comida

HYAKUJO, o mestre Zen chinês, costumava trabalhar com seus discípulos mesmo na idade de 80 anos, aparando o jardim, limpando o chão, e podando as árvores.
Os discípulos sentiram pena em ver o velho mestre trabalhando tão duramente, mas eles sabiam que ele não iria escutar seus apelos para que parasse. Então eles resolveram esconder suas ferramentas.
Naquele dia o mestre não comeu. No dia seguinte também, e no outro.
"Ele deve estar irritado por termos escondido suas ferramentas," os discípulos acharam. "É melhor nós as colocarmos de volta no lugar."
No dia em que eles fizeram isso, o mestre trabalhou e comer exatamente como antes. Há noite ele os instruiu, simplesmente:
"Sem trabalho, sem comida."

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Conto Zen

Certo dia, num mosteiro Zen, com a morte do guardião, foi preciso encontrar um substituto. O mestre (monge superior) convocou, então, todos os discípulos para descobrir quem seria o novo sentinela.

O mestre, com muita tranqüilidade, falou:

- Assumirá o posto o monge que conseguir resolver primeiro o problema que eu vou apresentar.

Então ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e, em cima dela, pôs um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo. E disse apenas:

- Aqui está o problema!

Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro! O que representaria? O que fazer? Qual o enigma?

Nesse instante, um dos discípulos sacou uma espada, olhou o mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e... ZAPT! Destruiu tudo, com um só golpe.

Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o mestre disse:

- Você é o novo guardião. Não importa que o problema seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado.

Um problema é um problema, mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou. Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, deve ser suprimido.

Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas que foram importantes no passado, mas que hoje somente ocupam espaço - um lugar indispensável para criar a vida.

Os orientais dizem:

"Para você beber vinho numa taça cheia de chá, é necessário primeiro jogar fora o chá para, então, beber o vinho."

Ou seja, para aprender o novo, é essencial desaprender o velho.

Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários até chegar às pessoas do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em sua mente. Vai ficar mais fácil ser feliz.

domingo, 23 de março de 2008

QUEM DETÉM O PODER, DETÉM O SABER...

Boa parte das diferenciações sociais é produzida por diferentes educações. Diferentes porque a instrução recebida pela classe operária, apesar de "gratuita", é mantida pelo Estado, que a passa de acordo com os interesses da classe burguesa, já que esta se constitui no seu sustentáculo. Isto vem reforçar a exigência de maior grau de escolaridade e/ou conhecimento para o exercício de certas atividades. Esse mecanismo fun­ciona mais ou menos assim: a classe dominante exige, para o desempenho de qualquer trabalho não-braçal, certo nível de escolaridade, porém esta mesma classe não permite à maioria da população o acesso à escolaridade exigida, determinando que quem detem o saber, detém o poder.

MEU CURRÍCULUM

Filósofo-Pedagogo, formado pela Universidade do Estado da Bahia – UNEB e pela Organização Internacional Nova Acrópole. Especialização em Metodologia do Ensino, Pesquisa e Extensão em Educação e Mestre em Educação e contemporaneidade - PPGEduC/UNEB. Pesquisador de Ciências Sociais e Novas Tecnologias. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Metodologia da Pesquisa, Filosofia e Informática. Atuando principalmente nos seguintes temas: Educação, Direitos Humanos, Desenvolvimento Local Sustentável, Informática, Segurança Pública, Filosofia & Ciências Sociais Aplicadas.

Contatos: (71) 8825-0649, E-mail: genivaldosantos13@hotmail.com

A CETECS é um centro de formação profissional de Novas Tecnologias, que visa preparar o seu alunado para, torná-los mais competitivos, através de uma metodologia de ensino diferenciada e interativa, promovendo a pesquisa, desenvolvimento e criatividade, aprofundando a formação do ser humano para o exercício profissional. Através de uma Educação inovadora com qualidade, para formar o cidadão e contribuir com o desenvolvimento regional sustentável. Bem como inserir profissionais no meio empresarial, oferecendo à sociedade a oportunidade de agregar conhecimento em tecnologias e empreendedorismo, encontrando e distribuindo soluções com competitividade e qualidade, visando à satisfação do cliente.

Os princípios que norteiam a CETECS são:

Descentralização: A administração, as decisões, as ações devem ser elaboradas e executadas de forma não hierarquizada.

Participação: Todos os envolvidos no cotidiano da CETECS devem participar da gestão.

Transparência: Qualquer decisão e ação tomada ou implantada na cooperativa tem que ser de conhecimento de todos.



sábado, 22 de março de 2008

Realidade Subjetiva...

No atual estágio da evolução humana, não é possível alguém acreditar que detém a verdade absoluta. Há, na verdade, quase cinco bilhões de realidades ou verdades relativas, subjetivas. Cada um de nós tem a realidade subjetiva processada do nosso "ponto de vista", que é tão válida quanto à do próximo e vice-versa. Como já dizia Einstein: "Aquele que se arvora em ser juiz no campo da Verdade é afundado pelo riso dos deuses".